segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Texto Intratável de Hoje - "Carta de Clara a Beatriz"



Carta de Clara a Beatriz

Abril de 2005

Beatriz,

Parece que Deus existe, afinal.
Lembras-te da maravilhosa M. e suas maquinações?
Pois o Anjo não foi nada parvo, não senhora. Aquilo deu confusão por causa do grupo sanguíneo e, ele, desconfiado, quis um teste de ADN. E sabes que mais? A bebé não é filha dele!
Aquela gaja…eu nem digo nada. Já viste o golpe? O que vale é que ainda se soube a tempo. Nem se casaram, nem lhe deu o nome, nem foram ter com os pais dele.
Parece que a M. está a trabalhar perto de casa dela, a ganhar pouco por azar. O que liga muito mal com as aspirações da peça. Foi bem feito. O que ela andou a fazer à Joana e ao José foi muito feio. A bebé é que não tem culpa nenhuma.

Acho que agora somos nós que entramos em acção. Sabes quando é que a Joana volta para Portugal? Não consigo esquecer a cara dela com a carta do José na mão, lembras-te?
Ficou mais branca que o papel. E calou-se durante dias. Quando falou foi para nos dizer que ia embora por uns tempos. Ela tem dado poucas notícias, e nunca ousei tocar no tema “José” com medo que ela explodisse.
Achas que ela lhe perdoa o pingue-pongue? Que chatice, estas confusões.
Nunca percebi o José, a M. não tem nada de especial.
Por que é que eles são tão teimosos?

O que achas, Beatriz? Eles merecem paz, não?
Eu penso que devíamos dar um empurrãozito. Vê se sabes alguma coisa.
Tu empurras a Joana e eu trato do José.
Temos de conseguir.

Clara.
*****

1 comentário:

Brancamar disse...

Pois, espero que o empurrãozinho dê resultado e que o final seja feliz, :)), embora a autora seja às vezes céptica...mas conseguiu deixar no final da história um ar de esperança...
Adorei, foi bom vir até aqui ler estes textos.
Agora virei ler tudo o resto que tenhas para dizer.
O que fica em tudo que escreves é a tua extraordinária personalidade, que já te disse ser muito parecida com a da minha filha, hihi.
Beijinho imenso.
Tia Branca