terça-feira, 16 de junho de 2009

Texto Intratável de Hoje - "Quarta Carta do Sonho ao Fantasma"

Quarta Carta do Sonho ao Fantasma


Nem sabes o alívio que me deste por simplesmente falares comigo. Se eu estivesse na tua situação, teria sido bastante diferente. Disseste que precisas de falar. O meu instinto diz-me que te sentes culpado de algo, que vai ser novamente um obstáculo para qualquer relação entre nós. Ou talvez não.

Podes ter dúvidas, podes andar confuso e cansado (parece), e precisares de alguém que está de fora, eu, para te ajudar a sair das confusões que te aterram em cima. Eu já tentei odiar-te e pensar que me mentias. Não consegui e não consigo. Gosto imenso de ti, tenho carinho por ti e só quero que te corra tudo bem. Gostava muito que me deixasses entrar nesse teu mundo escondido atrás da formalidade. Deves estar em cacos e não dás o braço a torcer. Mas eu vejo mais longe. Também me ocorreu que me vais dizer que me adoras... como a uma irmã. Pois, é o mais certo. Por outro lado, podes sentir-te perseguido por todos os lados, excepto por mim. Afinal não mando em ti, não te manipulo. Acabei a ser manipulada, como se fosse uma bola de ténis.

Não perguntei nada a ninguém e choveu informação. Correcta? Não sei. Com segundas e terceiras intenções? Talvez. Por algum tempo tentei deixar correr, esconder-me no meu canto e ver o que farias. Sempre que fugia mais um pouco, mais indisposto ficavas. Logicamente pensei que não te agradava a minha atitude. Sinto sinceramente que sentes a minha falta, mas se assim é, tens uma maneira um pouco estranha de o demonstrar. Fala comigo, por favor. É escusado continuarmos a ser peças num jogo de xadrez que está a ser jogado por outras pessoas. É uma questão de força e confiança.
Se é para ir em frente, garanto-te que nem a minha mana de coração vai saber.
Se é para manter a compostura, a formalidade e tudo o resto, podes ter a certeza que eu consigo.

Mas não me deixes a aguar uma semana inteira. Fala comigo. Por que é que tudo caiu? Foi por medo de represálias ou golpes reles? Ninguém tem esse direito. É a nossa vida. Só interessa o que tu e eu sentimos. Os outros que se amanhem. Queres ir em frente? Por mim vou até ao fim do mundo.

Não sei onde pára o meu Anjo. Foi embora e não se despediu. Acho que talvez sejas o mais parecido com ele que encontrei até agora. Desculpa o egoísmo, mas também mereço alguma paz. Espero que o meu anjo esteja bem e que alguma mulher de coração grande tome conta dele e o faça feliz.

*****


(a autora continua avariada, mas este texto e os que virão até aqui já estão escritos. Foi copiar/colar) Divirtam-se. Carpe diem.

>><<

1 comentário:

Brancamar disse...

Avariadita, mas a mexer, eheheh!
Viste o meu e-mail, com um numerozito parecido com o do Jorge?
Eu sou uma copiona, hi!hi!
O Jorge sabe como eu sou uma praga...e que amigos bons tenho feito por aqui.
Gosto muito dele e gosto muito de ti, não és Sagitário como nós, mas estás lá perto, vens logo a seguir, eu sei que ainda ficas na mesma linha recta dos maluquinhos bem humorados a todo o custo, hi!hi!
Amanhã venho ler o texto, agora já caio para o lado e gosto de o ler muito concentradinha, ainda hei-de ir à apresentação deste livro.
Beijocas fôfas.
Tia Branca